Contos e crônicas

Escrever é uma maneira de falar sem ser interrompido.
Jules Renard
Nesta seção você encontrará minhas crônicas e contos.
Não espere uma “divisão” entre os gêneros. A linha tênue que sempre existe entre eles, aqui é ainda mais frágil: costumo brincar, misturar, fazer experiências. E, como na poesia, também não faço rascunhos. É meu jeito de expressão, escrita simples e emocional.

  • Contos e crônicas

    DA JANELA, OS RUÍDOS…

    Abro as janelas novamente para ouvir a rua. Dela me chega a vida de todo dia e, como sou muito urbana, gosto, gosto muito de me deixar ir e acompanhar pelo…

  • Contos e crônicas

    ESPELHO PARA O MUNDO

    Seus olhos refletiam a paisagem. Gente passando correndo. As correrias de sempre em horários definidos entre os edifícios e ruas cinzas. Fechando os olhos, dormindo, acordada, escondia-se sob as falsas artes…

  • Contos e crônicas

    A VITRINE DE ANJOS

    Ela se levantou, cansada, já quase no final do expediente da loja e foi até a vitrine. Olhou aqueles pedaços de manequins nus, em torno deles apenas o vazio de um…

  • Contos e crônicas

    COISAS DE VELHO

    Tem coisas que a gente passa a vida pensando que são coisas de velho… Quando se tem sete, namorar é coisa de gente mais velha, tipo dezesseis anos… Depois, ali pelos…

  • Contos e crônicas

    CORAGEM

    Postei agora há pouco aquela foto. Ninguém notou o que ela realmente significa. Acharam bela, clicaram mais de mil vezes sobre ela mostrando o quanto a amaram. Ou gostaram. Tanto faz.…

  • Contos e crônicas

    ROUPA DE DOMINGO

    Antigamente muitas pessoas costumavam guardar a melhor roupa que tinham para o domingo. Fosse para ir à missa, ao cinema, a um passeio. A melhor roupa era guardada para o domingo.…

  • Contos e crônicas

    ENTRE A VÍRGULA E O PONTO FINAL

    Pode ser que haja entre a primeira vírgula e o ponto final muitas coisas que deem sentido à frase. Palavras (inundadas de exclamações ou interrogações subjetivas); letras (bêbadas, trocadas, angustiadas, sentidas,…