Textos

Nas próximas páginas você encontrará meus textos para sua leitura.
São textos compilados através dos anos, chegando à atualidade.
Dividi em três categorias: Poemas, Contos e Crônicas e Desvarios (onde se encontram minhas frases e pensamentos).
Os textos mais antigos guardam seus aspectos primeiros, ou seja, se falam da atualidade da época ou se retratam um momento específico de minha vida, não foram atualizados.
Achei correto manter o conteúdo original por entender que cada pedaço da vida da gente é importante do seu jeito.
Muitos destes textos já foram publicados em livros meus e algumas antologias de amigos. Para conhecer melhor minhas publicações, visite a seção deste site intitulada Meus Livros.

  • Poemas

    PRESA

    presa ao que criei para sobreviver, me mantenho… presas afiadas mais afiadas que as unhas. encolhida num sono quase perpétuo me mantenho… colhida em flor flor ingênua e nua de intenções……

  • Poemas

    MINHAS ENTRANHAS SAEM…

    … elas saem de mim carregando do âmago todo ódio, todas as raivas, os rancores cheios de fel.. … mas também estão cheias de paixão amores acondicionados em plásticos corporais sufocados…

  • Poemas

    ASAS

    asas para que, se o peso dos meus pés não me deixa voar? asas para ir onde, se perdi o tino e nem mesmo sei onde estou? asas para quem, se…

  • Poemas

    QUASE O TEMPO…

    é quase tempo do calor partir o calor excessivo que satura o corpo… quase tempo de ver chegar a brisa as chuvas leves o leve frio… quase tempo de ver as…

  • Poemas

    MEIO COPO

    Há uma parede entre a vida e eu? Um muro? Uma separação estranha? Mas a parede não seria parte da vida? O muro não seria parte da vida? Separações fazem parte…

  • Poemas

    ANESTESIA

    pela porta entra se espalha pelo corpo depois se concentra no cérebro. que dorme então o sono dos desajustados, onde sonhos não existem. o corpo caminha. fala. não pensa. age. não…

  • Poemas

    VOLTAR A VIVER

    presta atenção em mim, em meus atos, minhas falas, meus sentidos, meus jeitos e minhas manhas. presta atenção porque vou acabar te convencendo que preciso voltar a viver. vou te dizer…