Poemas

GAZAL DOS FANTASMAS DA EXISTÊNCIA

Há fantasmas no sótão de minha existência

Eles são muitos e pecam pela extrema insistência…

Insistem em permanecer comigo em todos os
momentos

E me dão aquela sensação de avistar a demência.

Me dão opiniões, se confessam, batem portas

Me deixam prostrado diante da mais pura
impotência.

São faladores, agitados e me tomam a mente

Fazem de mim uma só voz e consciência.

Como numa esquizofrenia, louca me imagino

Mas sei que são eles, os fantasmas e a impaciência

Que não conseguem viver um dia ou uma noite

Sem tentar o vil, a agonia e a decadência…

Eu tento, juro que tento me livrar destes
fantasmas

E eles só riem e desprezam a minha resistência!

Daí eu penso: por que não conviver em harmonia

E simplesmente me deixar levar pela evidência?

Texto de fevereiro de 2016

Photo by Gabriel on Unsplash

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta