Poemas

INTEMPÉRIES

Diante de mim o tempo reflete minha vida

em seu espelho cruel.

Ele passa para todos na mesma velocidade?

Deve passar…

Mas não nas entranhas, no âmago, não na alma.

Passa pelo corpo, leva a leveza levando com ela a leviandade.

Deixa as marcas, marca cada passo dado, cada erro feito, o imperfeito.

Eu tenho expressões no rosto

o sentimento exposto

por traços que o tempo desenhou…

Enfrentar o próprio olhar é mais difícil do que enfrentar o olhar alheio. Por isto espelhos não têm voz.

Photo by Sander Weeteling on Unsplash

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.