Contos e crônicas

LOBAS

A loba vai na frente, não há lobo para seguir. Olhando para trás volta e meia, ela guia outras lobas e seus filhos. Desde que os lobos se foram, as lobas cuidam, seguem, não se intimidam. Lutam, descansam, não se torturam. Sabem que daqui a pouco tempo voltarão os lobos e a alcateia estará: pronta, completa, liberta de tudo o que antes os prendia naquela terra onde o único ressoar era destruição. Vão em frente altivas, a agonia não fazendo parte daquela rotina improvisada. Há que se ver o olhar da loba que, diante de todas as outras almas que a seguem, se transforma de amorosa à fera em dois instantes que não se distinguem. Falta pouco. Bem pouco. Em pouco tempo a liberdade vai tomar possa dela e de todos os outros. E a liberdade, ao tomar para si o que é seu de direito, agiganta o ser. Venha, liberdade! Venha! A estrada à frente já está curta e o abismo perto demais…

Photo by Tom Pottiger on Unsplash

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.