Contos e crônicas

ANDO NUVEM…

Ando nesta espécie de nuvem que aproxima e distancia, que voa entre outras, se desmancha, chove, se nutre novamente se molda, evolve, se envolve e segue. Com a atenção voltada para aquilo e aqueles que amo e creio, corações onde não sinto falta de amor e faces que não escondem hipocrisia ou sentimentos de odiosidade. Cada momento um momento, cada ação uma ação, a soma de tudo sendo uma vida pacata, mas repleta da importância necessária. Respeito, sou respeitada. Amo, sou amada. E isto, por quem importa para mim. O néctar da vida. Dou-me pouco ao que não posso abraçar com meus braços porque a virtualidade tem se mostrado egocêntrica, brutal e destrutiva. Mas estendo estes mesmos braços através desta mesma virtualidade, de terra e mar, contra todos os tumultos, para abraçar os corações queridos. Se há tristeza por coisas pelas quais nada posso fazer ou dizer, há com certeza a alegria de reencontros e palavras que possuem o dom de emanar o calor humano tão precioso. Se como nuvem posso me deslocar ao longe e muitas vezes evitar muitas coisas, como pessoa sinto o inevitável: não há como estar presente sem artifícios para fingir não ver… não saber… Não me engano, apenas deixo cair a cortina e sigo. Quem viver, verá.

Photo by Kenrick Mills on Unsplash

Você pode gostar também de

2 comentários

  • responder
    Jeferson Barbosa da Silva - Garoeiro
    13 maio 2019 em 18 h 01 min

    Amei este depoimento …
    Fala das nuvens mas é chão que revela …
    Néctar da vida não se acha na Internet …
    Parabéns, Jacqueline …
    Garoeiro

    • responder
      Jacqueline Aisenman
      28 maio 2019 em 9 h 03 min

      Muito obrigada meu querido amigo! Pela leitura, pela presença, pelo carinho. Abraço grande!

    deixe uma resposta

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.