Desvarios

PROMESSAS DE ANO NOVO

Páginas em branco, ponteiros de relógio e promessas aos céus. Assim entramos na agenda de mais um ano e, tantas vezes, ainda na metade do primeiro mês já deixamos para trás a maioria do imaginado ou prometido. Não olhamos para trás. Olhar para trás significaria pensar que trapaceamos, que nos escondemos atrás da rotina corrida de cada dia, da urgência de outros afazeres… Trocamos o que nos daria felicidade ou apenas nem percebemos que as resoluções de ano novo nem eram verdadeiras no âmago? As páginas vão sendo preenchidas com pressa, os ponteiros giram afobados, as promessas se vão no vento que passa. Talvez, na realidade, a noite de ano novo seja somente isto: uma noite quase como as outras, com a pequena diferença de que nos permite, por alguns minutos ou algumas horas, sonhar que tudo irá mudar.

 

Imagem encontrada sem dados autorais (Se você é o autor (a), por favor me avise aqui: coracional@gmail.com)

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.