Contos e crônicas Desvarios

FERIDA?

Penso que sou, como todos sobre a face da Terra, uma pessoa ferida pela vida.

A vida, como se sabe, tem uma espécie de excesso de zelo pelo ensino de suas lições e não perdoa: jogou, ela manda de volta; bateu; vai levar; perguntou, opinou, vai ouvir uma resposta.

Muito se aprende (fingindo não querer, torcendo pra não ser aquilo, querendo não aprender) em casa. Depois, o que não ficou de lá, daqueles remotos tempos, dentro da gente, com certeza virá a vida toda toda arrumadinha e séria e paf!, nos dará aquela palmada de varinha no braço estilo professora de antigamente. Dói? Dói! Esquecer a lição? Nunca mais!

As feridas, que aos poucos vão virando cicatrizes, vão ficando mais duras, vão se acumulando umas sobre as outras e isto também faz com que a gente fique mais resistente. Sim, a dor nos faz mais resistentes. Como as caminhadas, como quaisquer intempéries, a vida ensina e deixa traços.

Para mim, o mais duro de todos os ensinamentos é o de saber que já tinha sido ensinada antes. Que não dera ouvidos e que hoje já não há para quem dizer sinto muito!

Então, ciente de que todos os dias novas lições se juntarão às passadas, vou tentando, amarga e vagamente, rememorar o que aprendi ainda na casa que chamava de minha. Ferida pela vida? Sim, mas graças aos céus. Se não fosse isto, com certeza nem vida teria mais.

 

Photo by Mohammad Metri on Unsplash

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta