Poemas

Doses de Felicidade

aplacar a dor

enfrentar o torpor

esquecer o rancor…

a realidade ou a dose?

felicidade ou pose?

quando a calma e a alegria chegam a nós

não através da natureza, daquele ar de quem quer nada

e simplesmente é.

quando elas chegam pelas mãos do homem

e nem o homem príncipe ou o homem que toca

mas o que fabrica, o que vende, o que indica.

a calma

cala

a alma

cala

na cama

calamidade

embalagens e embalagens tranquilizantes

eletrizantes, equilibrantes, energizantes, calmantes…

talvez tenha havido um engano no poema

onde tudo valia de acordo com o tamanho da alma!

são os casos que não valem a pena

nem porque a alma não seja pequena

mas tão simplesmente

por já ser ela inexistente.

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta