Desvarios Poemas

OLHOS DE EMPRÉSTIMO

em frente aos meus olhos se estendem as letras.

elas são muitas e dançam como loucas em um carnaval do fim do mundo.

ler e interpretá-las, ô sina besta esta de querer tudo entender!, está tão difícil!

elas se balançam no momento exato em que uma palavra se mostra inteira…

depois voltam todas ao normal, as frases que pulavam as linhas como se no tempo pulassem… amarelinha!

então percebo que ainda enxergo. dou vivas! não, não dou.

todos os meus direitos estão sendo tomados…

devo agora encará-los como meros empréstimos

que aos poucos estou

a devolver.

cegueira não está nos planos

nem de quem foi cego

pela vida toda

que viveu…

 

Imagem by Lacrimosa Fans

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta