Poemas

PONTOS DE REFERÊNCIA

O chão.
Como referência para o fim das quedas.
Mas…
onde colocar o poço sem fundo
o buraco que leva ao outro mundo
sem paraquedas?
O céu.
Como referência para o fim da vida.
Mas…
o que fazer das naves espaciais
ou dos fins eternos dos ateus convencionais
sem outra guarida?
O caminho.
Como referência para o situar do destino.
Mas…
o que dizer dos círculos perfeitos
e das curvas perigosas que doem no peito
que nos abreviam os sonhos desde meninos?
O coração.
Como referência para o centro das emoções.
Mas…
o que dizer do cérebro inconstante e aflito
buscando soluções entre o falado e o não dito
sem nunca se achar em meio às contradições?
Não…
Na verdade não existem pontos de referência
que tenham nem mesmo um mínimo de certitude
e nem mesmo um pingo de verdade.
A vida sobe e desce e sofre interferências
do nosso silêncio e das nossas atitudes…
ela não se nutre apenas de fatalidades!

Imagem by Mabel Amber

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta