Poemas

SILÊNCIOS E PAPEL

a inspiração partiu. partiu sem despedida. partiu-se ao meio.
negou-me o direito das palavras fluidas, dançarinas nas linhas
as peças que constroem meus sentimentos fora do eu material
e levam e lavam de mim todas as dores, incansáveis e complexas…
me deixou livre para não mais falar, calar, não escrever… silêncio.
retirou-me a veia por onde circulava o sangue carregado
secou-me o veio de onde dormiam as emoções preciosas…

hoje me permito esquecer as palavras, enterrá-las em meu seio.
fazer de conta que nem sei de onde elas eram e de onde vinham
já que a inspiração que decretou a si mesma hoje o seu final…
sequer me transtornou, me magoou ou me deixou perplexa…
pois o que já saiu do peito e da alma sempre foi o imenso
e uma hora ou outra isso iria acontecer, sentir o ar pesado
e em meio aos acordes da realidade sentir-me inútil e ociosa…

 

e porque para o papel me nego a entregar frases ao alheio
sem um sentido maior do que o que o da alma minha
o vento toma de mim cada letra, sai dançando, faz vendaval
se aproveita das partes de mim que preferi ficassem desconexas…
poesias são cantos íntimos, nelas vibram o que há de mais intenso
de tudo o que puderem colher em nosso presente e no passado
através da união das palavras e estas nem sempre graciosas…

 

nenhum lampejo atravessa a mente e vem então o inevitável receio
e as dúvidas dele se alimentam, crescem como ervas daninhas
se confundem entre sombras e luzes, redefine o óbvio e o essencial
transformam o dito e o não dito em certezas difíceis, controversas…
no entanto e apesar de tudo algumas palavras e sons são de bom-senso…
por vontade própria, por tirania, por amor ou por sentir o coração acovardado
restam bem no fundo de mim, de onde um dia hão de sair audaciosas!

 

Imagem by Tookapic

 

*Poema no estilo Sético  – Criei há algum tempo este estilo de poema (onde o nome começa mesmo com a letra “s”, pois há uma mistura da palavra “cético” com o fato do poema ter sete versos – sextilhas). O poema ter de três a sete partes (estrofes). O ceticismo a que se refere o título do estilo é o que dá a liberdade ao autor de ser realista e abrangente no momento de “libertar” suas emoções.

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta