Poemas

CRIEI UM NOVO ESTILO DE POEMAS: O “SÉTICO”! (Sim, com “S” mesmo”)

O nome é: “SÉTICO” (com s mesmo)

Consiste num conjunto de três a sete estrofes com sete versos cada. Os versos que estão na mesma estrofe não rimam entre si, mas rimam com os versos das demais estrofes, linha por linha (apenas a última palavra de cada verso).

O nome “Sético” é uma “mistura” entre as palavras “sete’ (de sete versos) e “cético” (pois em geral são versos céticos ou um pouco desconectados, loucos; versos de desvario, de desabafo até).

O “Sético” é uma espécie de prosa poética rimada, onde o poeta deixa escorrer o que sente ou o que pensa de uma maneira mais extensa, podendo se sentir livre para divagar.

Deixo um dos últimos que fiz. Ah, e sim, o “Sético” é a versão “textão” da poesia!

 

EFUSÃO DE PENSAMENTOS

 

dizem que pensar não custa nada, mas custa. custa muito e caro.
cada pensamento é uma parte inteira de nós que se recria
se desloca do mais profundo que trazemos interiormente
move o coração, move a razão, move todos os sentidos
faz girar passado, presente, futuro, une, separa e faz história
em segundos se transforma em palavras ou então silencia:
pensar não é coisa apenas de um lado que se tenha racional…

 

o pensamento as vezes nasce de um sentir mais que avaro
nasce querendo solitude ao alçar voos em suas fantasias
toma conta por instantes de tudo o que se tem em mente
afoga outros iguais a ele que foram aos poucos perdidos
pela agonia de sempre guardar tudo na memória…
o esquecimento é a bênção que nos salva da demência
enquanto nos abre as vias do sentir coracional…

 

tento esvaziar a cabeça… tirar de dentro dela o despreparo
de ser tranquila, de estar bem sem os tecidos ela que fia
um a um, um a um… formando as ideias que de tão frementes
tornam-se ruídos mais do que música para os ouvidos…
mas os pensamentos são ágeis e mudam a trajetória
se confundem em imagens… e eu não adivinho a proveniência…
me perco entre fatos que nem são fatos, parecem loucura total…

 

vivi? o pensamento me conta a recordação e eu encaro
me parece ser algo que vivi há anos, vidas, horas, dias…
será que tudo é feito com reflexão, intencionalmente?
para que eu lembre de lugares e momentos evadidos
e que talvez tenham importância neste ponto da história…
quem sabe sejam ferramentas para a sobrevivência
armas que me farão vencer a luta contra o mal?

 

imaginei? pode ser que tal pensamento seja algo que mascaro
a fim de me preservar das tristezas e outras agonias
que me tomam sem querer e me consomem infalivelmente
quando não uso as palavras e o tempo me aparece corrompido…
levando para longe os sentimentos que já foram minha glória!
pensamentos assim são tão comuns que a conveniência
apenas diz para deixá-los passar sem lhes fazer sinal…

 

e claro tenho também os pensamentos lúcidos que disparo
na tela do computador sem procurar desculpas ou covardias…
deixo que sigam seus caminhos e me lancem propostas atraentes
permito que sejam concretos, lógicos, loucos, coloridos
libero-os da censura até para vive-los na forma premonitória
se assim quiserem ser… ou bem ao contrário e com veemência
venham a ser os que me mantem em pé, lúcida e funcional…

 

para todos os tipos de pensamento estou ciente e deixo claro
ter noção de quanto  penso e de desconhecer as páginas vazias
que em geral atordoam a inspiração que tão dentro se sente…
tantos caminhos já percorri tentando acalmar o pensar corrido!
tanta coisa já tentei para não pensar de forma predatória…
em vão… mas me liberto nas melodias e na consciência…
de que não me fiz máquina… ainda que não seja passional!

 

Imagem by Geralt

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta