Poemas

A VOLTA DO MAR (REVOLTA)

o mar se levanta em ondas monumentais
vem, braços abertas, buscar suas areias
areias ocupadas por estradas
areias ocupadas por casas
areias ocupadas por gentes…
o mar se ergue em fúrias magistrais
e vem, punhos cerrados alcançar as veias
as caras todas mais lavadas
as caras todas já tão rasas
as caras dos que mentem…
o mar não chega manso sobre o cais
vem brusco, repentino buscar sua ceia
engolirá as árvores e calçadas
engolirá os bichos e enquanto arrasa
engolirá passantes negligentes…
por fim o mar voltará aos berços ancestrais
encontrará seus deuses, peixes e sereias
buscará por cada coisa de si arrancada
se tornará tão quente como brasa
e afogará sem dó os insurgentes.

 

Imagem by Hans

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta