Poemas

PENITENTE

Nem tenho um porquê, uma coisa certa

uma ciência exata

um prova concreta

algo que me diga

com feliz certeza

que o que faço vale a pena.

Mas estando a porta aberta

se há deserto ou há mata

curvas longas, linhas retas

coisas novas ou antigas

do pesado à leveza

faço poesia mais amena…

De desgraça o mundo está cheio

de dores o coração transborda

há chuva de lágrimas pelos rostos

há agonias causando feridas

pecados e penitências.

Então procuro outros meios

para ver se a alegria acorda

distante dos tristes encostos

que prendem corpos sem vida

longe de suas essências…

Meu poetar é um brinquedo

mas também pode ser sério

são coisas que vêm do interno

do mais íntimo de mim

para quem quiser ouvir…

Não tenho nenhum segredo

não vivo em meio a mistérios

sou de verões e invernos

sou do começo e do fim

até o dia de partir.

 

Imagem by Unsplash

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta