Poemas

DA NÃO PERMANÊNCIA

nada permanece, tudo muda, tudo parte, tudo morre.

mesmo as flores

mesmo as gentes

mesmo as nuvens no céu…

tempestades carregam com elas o que podem.

mas depois a chuva cessa

os ventos cessam

e vem a calmaria…

e na calma da paisagem tudo se enxerga melhor.

desastres em mar e terra

mortes de bicho e homem

raízes fora do chão.

não permanecerá pedra sobre pedra no caminho

dos que, ainda que não estejam surdos,

neguem-se a ouvir…

não permanecerá pedra sobre pedra no caminho

dos que, ainda que não estejam cegos,

neguem-se a ver…

a palavra dita será a única a permanecer viva.

ela se perpetuará em ecos

ela se refletirá nos espelhos

ela não deixará espaço vão.

marcará a ferro

e sem piedade

aquele que ousou lhe dizer.

o tempo também não permanece…

mas ele tem memória

e costuma vomitar

o que nele tentam

enterrar.

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta