Contos e crônicas

NÃO ACEITE O ÓDIO!

Não aceite o ódio como argumento ou como resposta para nada. O ódio é um sentimento cego que anda sempre abraçado com a violência. Ele não tem freios, não tem limites, não tem bom senso. O ódio não respeita, não aceita, apenas rejeita. Nele não há compreensão e o outro não é visto com empatia, mas como um objeto a ser destruído.

Pessoas inteligentes, abrem a mente para as diferenças. Pessoas tolas, buscam na mente razões para a desigualdade. Corações de bem, recebem em seu seio a dor do ódio, mas a ela respondem com a paz dos que sabem que o amor será sempre vitorioso. Corações tomados pelo mal, fecham-se a toda e qualquer oportunidade de viver a paz, destilando a fúria que lhes toma e faz viver.

Amar, em seu mais amplo sentido, é sempre solução. Porque dentro do amor encontram-se todas as nuances do bem. Quem ama a si mesmo, quem ama o seu próximo, respeita-se e respeita o seu próximo. E assim, a partir do respeito, reconhece a virtude de aceitar as diferenças e tentar compreendê-las.

Não permita que o ódio tome seus pensamentos e seja o motor de suas ações. Não se deixe influenciar por aqueles que já andam pela vida carregados de ódio, tanto ódio que eles mesmos já não explicam o porquê de se sentirem assim.

Pergunte a você mesmo as razões deste sentimento nefasto e veja quando, em que momento, você permitiu que ele se tornasse o seu senhor, escravizando o seu comportamento e as suas outras emoções. Pergunte e responda francamente, veja se vale a pena viver para odiar.

E, caso perceba finalmente que não, que não vale a pena deixar-se tomar pelo ódio, abrace o amor com todas as forças. E sinta como é mais simples viver quando podemos esticar as mãos para outrem ao invés de cerrar os punhos. Sinta como é mais belo viver quando é possível dizer palavras de alento ao invés de gritar impropérios.

Não aceite o ódio. Não permita sua morada em você. Você com certeza merece mais do que ser associado a um sentimento tão vil.

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta