Poemas

APENAS PALAVRAS

Honestamente? A palavra honestidade já perdeu o sentido.

Sinceramente? A palavra sinceridade já perdeu o sentido.

Francamente? A palavra franqueza já perdeu o sentido.

Verdadeiramente? A palavra verdade já perdeu o sentido.

 

Há mais sentido em se omitir. Ou mentir. Ou fingir. Não existir.

Há mais sentido em calar. Ou não se revelar. Ou parar. Estacionar.

Há mais sentido em se perder. Não exercer. Padecer. Ou perder.

 

Sente-se muito, mas o que sentem mesmo é a falta da diferença.

Sente-se tanto, mas o que sentem mesmo é indiferença.

Sente-se demais, mas o que querem mesmo é a desavença.

 

Praticamente é assim que as coisas são e sempre serão.

Praticamente é assim que os homens são e sempre serão.

Praticamente é assim que querem que seja e sempre será.

 

Na prática é mais simples negar as evidências.

Na prática é mais simples seguiras aparências.

Na prática é mais simples viver sem consequências.

 

Depois tudo não será perdoado ou esquecido.

Depois tudo será enterrado.

Depois de tudo acabado.

Depois de tudo perdido.

 

Sempre serão poucos a herdar o reino dos céus.

Sempre serão poucos a ganhar no reino da terra.

 

E estas são apenas palavras sem grandes intenções…

Apenas palavras que não buscam grandes questões…

Palavras apenas que não necessitam confusões….

Apenas palavras escritas como se fossem orações…

 

Para que tudo seja dito.

Para que tudo seja escrito.

Preto no branco. Branco no preto.

Um pouco esquisito.

Nada santo ou bendito.

Preto no branco. Branco no preto.

 

E tudo será um dia lembrado.

Porquês serão discutidos e falados.

Histórias de bar.

Ou histórias para boi dormir.

Dependendo de quem contar…

ou de quem fizer ressurgir….

 

Palavras, palavras, palavras soarão

Apenas as palavras ecoarão

Apenas as palavras serão

de tudo o coração.

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta