Poemas

PARA NÃO MORRER CEGO

presto atenção no que vejo

no que ouço

no que leio.

quero entender.

depois deixo à memória

a escolha

do que guardar.

todos os meus desejos

me tiram do calabouço

e eu receio

não viver

e nem ter história

para contar

se não abrir um livro

eu não me livro

da ignorância…

se não ouvir o outro

eu serei outro

vivendo a insignificância…

se não observar o mundo

que portas verei abrir?

que paisagens verei

do que poderei falar

escrever?

abrir os horizontes

escapar dos recintos fechados

e construir pontes

onde abismos têm enterrado

aqueles que insistem em fechar os ouvidos

e os olhos

para o que a vida tem a mostrar…

manter a mente aberta e os sentidos

permanecer ligado ao mundo

que me espreita e me aceita

ou rejeita…

e no qual eu continuo

a existir.

 

Imagem by

BarnImages

Você pode gostar também de

1 Comentário

  • responder
    Lourdinha Vilela
    3 março 2016 em 18 h 07 min

    Perfeito e maravilhoso poema. Me encantei com seus escritos. Parabéns.bjs.

  • deixe uma resposta