Poemas

PARA NÃO RECONHECER

Não faça o que eu digo

menos ainda

o que penso.

Não faça o que eu faço

não me roube o cansaço

que hoje é intenso

que nunca finda

e não me serve de abrigo.

O que eu digo não se escreve

o que eu escrevo não penso…

talvez mesmo eu nem sinta

seja só camaleão

fingindo coisas da vida…

sem abrir minhas feridas

sem abrir meu coração…

talvez eu sorria e minta…

neste inferno que é imenso

e onde tudo se deve.

Não sou o que queres

mas sou o que tens…

só vês de mim o que quero

mais um pouco eu desespero

escondida entre as paredes

da casa calada…

cilada…

caíste e agora exasperado

morres de sede

sem me dizer

que me conhecer

está mesmo impossível…

ninguém nunca me viu

inteiramente…

Não sou outras mulheres

nem sou o seu bem…

Eu vivo no meu covil

de onde libero miragens

sorrateiramente…

Muitas facetas no espelho

reflexos poderosos

imagens cerebralmente

retrabalhadas…

caleidoscópio de gente.

Eu estou velha.

Eu estou criança.

Eu estou de qualquer jeito…

que seus olhos ansiosos

desejarem finalmente…

emoções atrapalhadas

uma centelha

de esperança

eu sou… ou não sou…

jamais tu saberás

o segredo

ele morrerá comigo

com todas as minhas idades

personalidades

de brinquedo

que o vento levou.

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta