Poemas

DESPREZO E NÃO DESPREZO

era tão, mas tão, mas tão…

desprezível

que foi chamado de filho

de senhora trabalhadora de rua.

na verdade foi uma falta de respeito

com a dama das noites soltas

que o sujeito era mesmo infame

indigno

de ser chamado de filho

de qualquer mãe.

mas era hábito popular

dar a filiação às mulheres

independentes

por serem elas aquelas

que o mundo desconsidera

joga para a margem social

e esquece.

enquanto o tal abjeto

sem respeito, educação ou classe

continuaria depois seu caminho…

e nada seria nada.

profissão é profissão

se escolhida e bem exercida

quem julgará se é decente?

quais os direitos que têm

os que nem conhecem a pessoa

de dela tomar a vida

e imaginar qualquer coisa?

irmã, mulher, mãe e filha

algum dia ela foi, é ainda ou será.

na beira das calçadas

ou em recantos reclusos

ela é muito mais honesta

do que tantos que criticam

sem ao menos conhecer.

mas o sujeito infame

ele terá outra chance

porque é homem certamente

outros homens defenderão

e outras mulheres também.

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta