Poemas

LIMITAÇÕES E INFINITAÇÕES

Não encontro em mim braços suficientes que possam abraçar o mundo…

No entanto, meus braços, por pequenos ou curtos que sejam

alcançam uma imensidade de gentes e árvores e bichos e estrelas…

alcançam e abraçam com tanto amor que a energia vibra!

Procuro em mim visão suficiente para poder ver longe, bem longe…

Mas meus olhos têm defeitos, eles estão longe de serem perfeitos…

Então é a visão do coração que me faz enxergar as almas e as auras

e me faz ver com precisão o sentimento que cada ser traz em si…

Meus pés que muitas vezes nem querem andar de tão cansados

eu levo comigo para além das paisagens conhecidas…

Porque quando a alma caminha, o corpo segue se assim desejar…

E eu desejo: desejo seguir, ir em frente, ver o mundo e deixar

que ele me veja também…

Minhas mãos, estas também tão miúdas, mais parecendo mãos de criança…

elas também querem tocar objetos e seres e o céu e os rios e os mares…

querem sentir a emoção da vida que em tudo se forma e transforma.

E, sim, elas conseguem. Pequenitas que são elas se lançam e alcançam

tudo o que querem…

Elas abrem livros, devoram as páginas…

Elas tomam a caneta e escrevem, descrevem, inscrevem a vida que vai…

Nas limitações que possuo, nas linhas que cerceiam minha existência

em todas tento desobedecer as exigências de ser o que sou

e tento, infinita e perdidamente ser além do que eu poderia…

Por isto quando as costas doem, doem sem misericórdia

e quase se negam a sustentar o corpo que deseja manter-se erguido…

Por isto quando a dor é maior que minha vontade de existir

ainda assim eu existo e insisto, persisto nas convicções

que me fizeram chegar até aqui…

Eu não sei do que sou capaz. A capacidade é virtude que muda…

que tem uma paleta de cores tão variada quanto o arco-íris ou mesmo mais!

Mas sei que as virtudes, elas a gente adquire com a força da vontade

e com a vontade de ter força.

E estas, a vontade e a força, a força e a vontade, estas

eu tenho em mim como mantra: sou parte do universo…

parte integrante, intrínseca, do universo que me criou e me anima…

Como a letra é parte da palavra que é parte da frase que forma os versos que formam a poesia que dá forma à vida da qual sou feita!

 

Imagem by Lisa Denise

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta