Poemas

AS ESTAÇÕES DA VIDA

Se fosse primavera eu iria de flor em flor

colher o pólen, espalhar o sêmen

fazer a semente deitar à terra

para engravidá-la

a terra sedenta…

deixá-la macia e santa…

fazê-la mãe de todos os frutos

benditos frutos

que dali nasceriam…

cresceriam…

se tornariam troncos, galhos, folhas, flores…

benditos frutos…

Mas não é primavera. É outono.

Hora de colher da terra

a morte do que já foi o mais puro significado

da vida…

tempo de arrancar os tocos secos

podar os galhos cansados

recolher do chão as folhas amareladas pelo frio…

deixar que a terra se repouse

na solidão dos dias que precedem o inverno…

que ela se cure, se afogue em chuvas

retorne às suas profundas cicatrizes.

E depois do outono, do inverno, da neve e do gris das nuvens e do céu…

lá então eu me farei novamente beija-flor

e recomeçarei com a terra o ciclo da vida

dentro e fora de mim serei

vento, serei ave, serei tudo o que de mim for necessitado…

e para a natureza viverei de forma plena e excelente

fazendo de minhas mãos utensílio

de minhas fazendo abrigo

com minhas mãos dando-lhe auxílio…

A terra sempre poderá esperar de mim a força para acalmar seus anseios…

em seu seio…

ela que me dará um dia o direito ao exílio.

 

Imagem by Masakazu Matsumoto

Você pode gostar também de

4 comentários

  • responder
    Lya Gram
    21 outubro 2015 em 14 h 58 min

    Quanta sensibilidade! Que maravilha conhecer seu site! Parabéns poetisa!

    • responder
      Jacqueline Aisenman
      21 outubro 2015 em 15 h 32 min

      Muito obrigada Lya, por sua visita e por suas palavras!

  • responder
    sandra Pinheiro
    18 outubro 2015 em 19 h 16 min

    Maravilhoso poema. As estações poderiam todas poderem ser semeadas de arte e florir sonhos.
    PARABÉNS pelos poemas, , são viajantes

    • responder
      Jacqueline Aisenman
      19 outubro 2015 em 1 h 58 min

      Muito obrigada Sandra!

    deixe uma resposta