Poemas

LIMIAR DE UM FIM

Encontro-me a um passo da loucura

Antecedeu este ápice, uma íngreme subida

Aos céus do mundo, nuvens de tortura

Inferno numa lágrima esculpida.

Pairavam sonhos sem sequer serem sensatos

E era tão bom viver sonhando, desvairada

Burlando leis, cumprindo desacatos…

Apenas, como tudo na existência

Valeu-me o tempo e o corte do feliz

Despi-me da couraça e da essência

Herdei de mim profunda cicatriz.

Agora, quando exausta vou ao chão

Sem o sorriso que outrora foi a luz,

Baixo os olhos e estendo as mãos

Finjo não ver o abismo que seduz.

 

Imagem by Bart

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta