Desvarios

DE REPENTE…

E bem além daquele horizonte, o único que vês entre os teus medos, te digo vem. Vem que ainda é possível, o mar ainda não tomou a ponte.

 

Estou querendo escrever algo que dói em mim, mas ainda não escolhi como. Só sei que preciso escrever porque dói e não consigo falar, explicar esta dor. Eu não acabei com ela pintando de vermelho os cabelos e nem mesmo fiquei muito tempo longe depois de me comprar os discos. Adorei as músicas, mas elas também se acabam e fico eu ali.

 

De repente são tantos os ódios que saem de mim, que saem como se fossem raios, em todas as direções, principalmente as erradas. Isto me acaba. Procuro as rédeas e sinto que as engoli. Todas. Puras. Como o jantar do dia inteiro que passei sem comer.

 

Imagem by Bonnybbx

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta