Desvarios

MEUS OLHOS PELO MUNDO E OUTROS

MEUS OLHOS PELO MUNDO

São janelas de vidro encastradas na pedra. Assim são meus olhos, com o olhar coracional para o mundo.

 

BALANÇO

Momentos que vou. Longe, perto, sem distâncias no tempo. Um balanço de quintal: vou, volto, vou, volto, vou…

 

PARA ONDE VÃO AS ESTRELAS?

Para onde vão as estrelas? Para o mesmo lugar de onde vem todo o brilho que lhes havia.

 

DORES

Dores despertam o corpo e a alma. Estão lá porque as chamamos, para nos acordar e tirar de onde nos entocamos.

 

REI DE UM DIA

Amor, rei destituído, sentimento envelhecido, pela dor.

 

MESMO UMA FRESTA

 Quando diante de mim se abre uma janela, ou mesmo uma fresta dela, e através eu posso entrever um mínimo que seja de esperança, tudo em mim se transforma. Minhas células se renovam. Meu coração melhora seu ritmo. Minhas pernas caminham com forças outras. Palavras que desconheço juntam-se ao meu vocabulário. Mesmo as lágrimas que descem, apenas me umedecem a face. Passo a viver da magnífica energia de saber que é possível. Que vale a pena. Que posso esperar.

E o tempo, humilde, cala-se e retira-se.

 

NECESSIDADE DE LUTAR

Não há necessidade de lutar contra os muros, debater-se, ferir as mãos, quebrar os punhos. Basta persuadir alguém de derrubá-los por nós. E só.

 

 

EMOÇÃO EMPALHADA

Costumava escrever sobre o amor, linhas, linhas de vida, linha do coração. E um dia houve um fim. Acabou-se o sentimento, a força e o ardor. Acalmou-se a dolorosa ferida, atrasou-se a canção para mais falar de mim. Se um dia fui a fortaleza da paixão, hoje sou somente a vitrine de uma emoção empalhada.

 

Imagem by ilaria

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta