Poemas

DUAS DE MIM

Olho diante de mim e lá está:

a fragilidade em pessoa, o outro pedaço de mim

aquela parte do ser que ainda recém nasceu…

a parte de mim que ainda não cresceu…

Olho e tento escapar os olhos dela

e ela, insistente, carente, temente ao deus interior

me chama e clama sermos um ser apenas…

Cruzo os braços, tenho medo…

e ela, como se não fosse um segredo…

me estende a mão!

Olho nos olhos desta eu que se apieda

e devolve o olhar com carinho e emoção…

enquanto fico em meio a tanto de aflição

ela me leva a tristeza antes que eu ceda…

Somos uma! Somos um só ser, mas tão difícil

é encontrar um meio de entender… de reunir…

quando na vida não se fez mais que ferir…!

Olho a criança, ergo os braços, tomo-a nos braços

envolvo-a no peito, colo ao coração…

trago-a comigo, preencho todos os meus espaços

e me liberto enfim desta prisão!

 

Imagem by johnhain

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta