Poemas

A CANÇÃO DO SINO E A ROTINA DA RUA

Os sinos quebram o silêncio. Restam pedaços nos meus ouvidos…
Pedaços de vozes, de passos, de gritos, do canto dos pássaros…
Enquanto o sino toca todo o resto silencia.
Ainda assim os carros passam
e as pessoas passam
e os ruídos urbanos não cessam…
Mas enquanto o sino dobra
é como se de repente o mundo se tornasse
um filme mudo. Colorido e mudo.
Um velho filme que traz aquela sensação de déjà vu
E quando finalmente o sino cala
e tudo volta ao normal
– finalmente, tudo é tão normal –
nada mais é surpresa, nada mais é encantamento.
Apenas vida. Vida que segue.
Pelas calçadas, pelas ruas, dentro das janelas…
Quando a rotina é o roteiro
e a vida é tão menosprezada…
encontros… escombros…
e os sons da rua e das pessoas se confundem
com o silêncio do sino
que cansou de cantar.

 

Imagem by PhotoBook777

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta