Poemas

DO TEMPO E DA NÃO PERMANÊNCIA

Meu tempo passa como o de todo mundo:
algumas vezes voa; noutras parece se arrastar
algumas vezes nem sinto passar
noutras quero apenas lhe arrancar de onde está.
O tempo que denuncia as tristezas
e que é o mesmo que apaga as lembranças
enche os corações com a saudade
leva de nós para tão longe certas coisas…
Ter tempo, não ter tempo, querer tempo, dar um tempo…
O tempo não nos pertence.
O tempo etéreo e imutável, não nos pertence.
Não pertence a ninguém.
Não pertence sequer a uma dimensão apenas.
E a gente olhando os relógios
com ar apressado ou perdido
querendo que ele se ajuste
aos nossos desejos…
O tempo existe nos relógios
na nossa pele
nos nossos órgãos…
Mas não existe depois.

 

Imagem by Brandon Warren

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.