Poemas

OLHARES SEM RUMO

Não sei até quando poderei olhar para o mesmo horizonte que você.

Não sei sequer se o horizonte para o qual olhamos neste momento é o mesmo.

Será?

Será que as estradas e mares que levam até lá simplesmente não se movem mais?

Será que os pés, de conhecer o caminho, começaram a estancar junto com o sangue?

Tudo o que nos trouxe até aqui já não se encontra

talvez  em outras paragens, em outras épocas

mas aqui nada mais se encontra.

 

Imagem by stux

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta