Desvarios

SEDE INFORTUNA

Estou com sede. Preciso beber o precioso líquido das tuas palavras… tenho sede das letras… minha alma anda seca do conteúdo de tua alma. Vago pelos desejos tortos, corro pelas ruas desertas de sons e de linhas tentando imaginar que a qualquer momento algum ruído estranho poderá me evitar a realidade e devolver-me ao submundo que é também meu pequeno universo…

Foram pesadelos diários e durante horas durante os dias…. e foram sonhos e sonhos nas noites e nos dias em que não havia quem pudesse me despertar para viver os meus medos. E agora eles estão próximos, cada vez mais próximos… e mesmo que eu queira, mesmo que eu insista e mantenha o pensamento forte, eles, os medos, acabaram por se concretizar… E agora? Fui egoísta? Ou estou somente perdida? De toda maneira, é bem pior agora do que todos os bichos-papões que por aqui já passaram…

Estou com sede. Abro a porta e deixo entreaberta…

 

(Ouvindo Angel Meat, domingo 9:30hs – novembro de 2007)

 

Imagem by geralt

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta