Desvarios

ARREBATAMENTO

Não prendas os desejos entre os dentes. Não permaneças longe com os olhos famintos. Não guardes as mãos contra o corpo sem outro corpo. Prenda-me. Deseja-me. Pega com os dentes minhas ancas e com as mãos desde os cabelos toda, toda, a inteira e completa eu. Sem nenhum pudor, sem rubor algum.

Enquanto eu finjo não te ver chegar, não te ver me olhar, não te ver de jeito algum. Enquanto isto, não percas o tempo. Usa-o contra mim!
(Estava ouvindo E.S. Posthumus, Ebla)

 

Imagem by Allan Ajifo

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta