Contos e crônicas

IMPRESSÕES

Antes de mais nada retirou as mãos dos bolsos. Não queria passar uma má impressão. Depois de poucos minutos procurando com a mente e os olhos um lugar qualquer para as mãos ociosas, viu que a má impressão já estava lançada. Estava parecendo uma marionete sem dono e desconectada de qualquer fio. Levou as mãos de volta para os bolsos e não resistiu: começou a assoviar.

 

Imagem by Rachel Gant

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta