Contos e crônicas

DIAS PERDIDOS

A luz estava apagada, o escuro se fazia tão presente que não era mais possível imaginar a claridade. Ocupava o tempo a pensar, pensar, pensar. Tentava acalmar a impaciência em vão. Desesperado, colocou as mãos no rosto e foi quando percebeu: seus olhos estavam fechados! Na ânsia de reabri-los sentiu a agonia do tempo perdido. E chorou.

 

Imagem by jeronimo sanz

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta