Contos e crônicas

DEVANEANDO

Dobrava as pernas e tinha a impressão de ser bailarina. Dançava os pés. Depois levantava, dava dois passos e se pensava modelo. Desfilava o olhar. Aí, bem depois de, exibida e alegre, ter percorrido mundos, ia calmamente trabalhar. Servia café.

 

imagem by peter burge

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta