Desvarios

FRASES…

Apegos e desapegos. O emprego do verbo amar. O destino do sentimento de amor. Eu amo. Eu amo. Eu não amo mais. Difícil é desapegar enquanto o amor ainda vibra.
Ao invés de falar, faço silêncio. Porque minhas palavras talvez soassem duras demais. Porque minhas feições ao falar talvez ficassem duras demais. Mas eu não me engano, o peso do meu silêncio é tão grande quanto o mundo em mim que o acolhe e as palavras caladas me cortam por dentro como se facas afiadas fossem: cortam os órgãos, a carne, a pele. Nada fica imune. Mas o tempo irá passar e minhas palavras caladas ecoarão em outros silêncios. O tempo, mestre supremo, me dará razão e minha voz surgirá dos abismos para enfim dizer o que deverá ser dito.

Ouvidos incautos, preparem-se! Ouvidos ingratos, preparem-se! Do fundo do silêncio brotará a verdade, somente ela, para florescer entre nós.

 

Estou dando um tempo. Um tempo para voltar a amar as coisas que deixei de amar pelo caminho. Estou dando um tempo para mim mesma e para tudo o que hoje apenas me tira a paciência quando era para me fazer feliz. Quero ler livros esquecidos na estante; quero vestir roupas esquecidas do guarda-roupas; quero ver fotografias esquecidas em álbuns… Quero dar um tempo… deixar o presente rolar seus dados e não pensar que logo depois dele vem um futuro apressado em se tornar passado. Preciso urgentemente me dar um tempo.
Para esquecer futilidades que chegaram a tomar uma importância muito grande sem que eu nem percebesse. Um tempo para voltar simplesmente a ser feliz.

 

Imagem by FirmBee

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta