Contos e crônicas

TEM UM ALIEN AQUI DENTRO

Acontece assim, cada vez que me dá uma vontade boba de chorar. Ou pode ser uma vontade bem séria mesmo. Pode ser também uma raiva justificada. Ou uma manha bem infantil daquelas que pediu colo sem palavras e não ganhou.

Quando sinto se aproximar estes momentos extremos, quando sinto que vai sair de dentro de mim aquela coisa que não sei o nome e tão poucas pessoas (nem completam os dedos de uma mão…) sabem fico completamente atordoada e tudo o que quero é fugir. Correr para dentro da segurança da minha caverna, aquecida, preparada para me reconfortar e, principalmente, repleta de tecnologias que me permitem devolver as lágrimas para o lugar de origem.

Tantas vezes sou um rio tranquilo, que leva suas águas para enxaguar as dores alheias, para umedecer corações ressecados pelos anos que se seguem. Deixo que mergulhem, que me bebam, que me carreguem… até sentir minha própria correnteza… subterrânea, forte, seguindo num movimento que nem eu mesma consigo parar.

O rio tranquilo corre veloz, bem mais veloz que as ondas do mar. O doce rio em sua calma carrega forte tudo o que encontra com a mesma fúria de um mar em tempestade. E este turbilhão de emoções me deixa completamente sem saber se continuo a ser eu mesma ou se dentro de mim habita um outro ser.

Na realidade o que preciso é aprender a aceitar. A aceitar a força. Aceitar não ser frágil, aceitar dizer não, aceitar nadar contra a corrente, recusar que usem minhas águas sem necessidade verdadeira. Aceitar a ser uma, inteira, única, dona de mim, de minhas palavras e de suas repercussões.

Para que eu possa ir a qualquer lugar em busca das pessoas. E para que elas saibam que eu sou forte sim. Mas não sou um elefante com crises de brincar em cristaleiras… porque a falsa fragilidade só fazia de mim alguém que podia ajudar menos.

E eu saberei quem poderá me aceitar como sou e então contar com tudo que tenho a oferecer.

E saberei também daqueles que me olharam como se o alien que eu pensava que tinha aqui dentro pudesse na verdade estar estampado até em meu no rosto!

Afinal, ser forte nem sempre é ser alien. Pode ser simplesmente a gente mesmo.

 

Imagem by Unsplash

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta