Desvarios

SILÊNCIOS

Que há silêncios ricos e silêncios pobres, quem não sabe? Pergunto assim mas confesso que eu não sabia. Para mim, que sempre amei os momentos de “estar só” para escrever, ou mesmo para outras atividades que tanto gosto, silêncios pobres praticamente não existiam.
Mas eu acabo de descobrir os tais. São de uma violência, de uma falta de tato, de um agudo surdo tão profundo que qualquer barulho de carro já se torna música.

 

Imagem by Lotus Carroll

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta