Contos e crônicas

PESO INDESEJADO

Por que temos que carregar o passado nas costas como se fosse uma mochila pesada durante a vida toda? Por que não podemos simplesmente guardar certas lembranças na mente e fotos em caixas?

Eu hoje acordei pensando nisto porque percebi sem querer num momento simples de meus afazeres matinais que as comparações com o ontem recente e o ontem lá do fundo do poço estavam tirando a minha atenção do principal: o que eu tinha que fazer agora.

Escovar os dentes pode ser uma tarefa idiota e útil somente. Mas pode tornar-se uma arma se junto com o ato de escovar ou de se olhar no espelho entre um gesto e outro começarem a aparecer fantasmas. E como os fantasmas são sempre pesados, ai minhas costas, mais um pra carregar na minha mochila.

Cá pra nós, ao longo do dia, depois de acumularmos alguns momentos destes, as costas já estão curvadas. Imaginem só meses assim, anos assim.

E tudo isto porque parece evidente que nos é impossível viver o agora como e com quem ele vem. Precisamos da auto-flagelação chamada comparação. Para desgostar do que gostamos. Para diminuirmos o que poderia ser excelente. Para termos um motivo a mais para continuar a viver o papel principal de vítima de uma existência mal fadada. Parece teatro? Pois é isto mesmo. Teatro.

E como no teatro de nada adianta ficarmos comparando as atuações de ontem com as de hoje. E se os atores mudaram, mudarão também as atuações. E tudo não passa de uma questão de adapatação, porque a peça continua hoje e continuará amanhã. Os atores vão se modificando ao longo do tempo porque as necessidades inidividuais mudam. Mas a necessidade de continuar é mais do que pungente.

O passado é e deve ser tratado como um experiente membro da família ou um bom livro de auto-ajuda: podemos receber as lições, tentar delas aproveitar o melhor nos convier, mas nunca colocá-los nas costas e passar a vida carregando com a fraca consideração do “se um dia”. Os conselhos, de pessoas ou dos livros, servem para o momento presente, para que utilezemos e tenhamos boas considerações. Jamais para serem acumulados. E o conceito de validade?

 

Imagem by martinak15

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta