Desvarios

NO CAIS…

Achei uma foto entre muitas que recebo via e-mail. Na hora não me vi nada de mais, apenas o título chamou minha atenção: solidão. Salvei nas “fotos recebidas e desconhecidas” e esqueci. Hoje, por puro acaso dei de cara com ela. E foi um choque. Parecia eu. Parecia eu há muitos anos atrás. Se tirasse a árvore e colocasse a lagoa, seria eu sentada nas pedras do cais da Laguna. Exatamente como eu me penteava muitas vezes, exatamente como eu ficava, horas e horas, observando sozinha o horizonte nada distante. Naquela época eu achava que só existia o tipo de solidão que eu adorava, ou seja, ficar sozinha pensando, escrevendo, observando. Precisei de muitos anos para conhecer os outros tipos de solidão, inclusive alguns que me assustam e outros pelos quais me apaixonei.
Olhando a foto não me deu vontade de ter novamente 15 ou 17 anos. Mas me deu uma vontade enorme de sentar lá, no mesmo cais, na mesma Laguna das minhas lembranças tão antigas. Só pra poder esquecer as distâncias e o tempo e então acreditar de novo que solidão é somente aquela ali…

Obs. atual: Não acho mais a foto para postar aqui… mas achei outra tal qual!

Imagem by Ayank

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta