Poemas

VÓ MARTA

Sentada tão hospedeira
seu colo de mãe rendeira:
Mão pra lá mão pra cá
mão que leva e traz o fio
mão que passa e entrelaça
traça a graça
da renda de bilro branca.
Poema que fiz para minha vó, que era rendeira, costureira e fazia tarrafas!
Meu carinho para todas as talentosas rendeiras de Santa Catarina e do Brasil!

 

Imagem by Nicoli Barea

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta