Poemas

RESSURREIÇÃO

Ermantina pescando nas pedras

As pernas finas e as mãos sisudas

Conduzindo o anzol certeiro

para dentro das espumas do mar…

 

E a sanfoneira septuagenária e pura

Mãe e esposa devota até a que a vida

decretasse para os seus, a morte e a idade adulta…

e ela, liberal, transformasse solidão em sol-ré-mi…

 

Gildemar, o artista inconformado com o abandono

e que na singeleza de suas letras versejou suas terras e suas águas e seus céus e toda sua gente

sem perder pelo caminho o sonho de livros e livros…

 

E eu, e tu, e nós, que levantamos todos os dias

Ressuscitando dentre as mortes lentas ou velozes

Que diariamente nos conduzem a decisões, visões

Novos passos, compromissos, rompimentos…

Pois cristos que somos e cristos que temos em nós

Cristos que amamos e cristos que tentamos apreender…

Lutamos para sobretudo não perder a fé!

Continuemos, continuemos a ressuscitar…

A vida, ela e seus mistérios, nos esperam do lado de cá…

 

Imagem by El Secretario

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta