Poemas

PONTADA DE DESESPERO

E eu nem mesmo queria que fosse assim

Lembrar das coisas que não mais podem importar

E tanto esforço fazer para ignorar

E esquecer aquilo que parece não ter fim…

 

Mas me pego de olhos abertos só por fora

Entregues ao desprazer de buscas desesperadas

Tentando saciar a alma mais que atormentada

Com sobras de tudo o que se foi embora…

 

Ah, e quem sou eu para lutar com galhardia

Contra os fantasmas que feliz me fazem

Contra os desejos que no coração jazem…

 

Sou desperta um ícone triste da covardia

Forte apenas para alçar aos céus braços carentes

E preces perdidas de uma alma demente.

 

Imagem by Courtney-Carmody

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta