Poemas

EXATAENTE

Olhou e viu. Era o que era. Exatamente o que era.
Era exatamente. Exatamente.
Nada mais, nada além, nada menos. Exatamente.
Não um surto, nada passageiro, nada diferente.
Nenhuma sombra. De dúvida ou dos olhos.
Exatamente. Exatamente. Era. Exatamente.
Não um fruto entremaduro, não um pão cru.
Não uma balbucia, uma balbúrdia, um senão.
Não uma visão perturbada, nada cegamente, nada.
Apenas era. Exatamente. Era exatamente.
Era o que queria, o que sabia, o que já dentro vivia
Era o que sabia que viria um dia
Exatamente. Exatamente era. Exatamente.
O ser metade do seu ser exatamente a outra metade
e que nela cabia e podia estar completamente.

 

Imagem by katmary

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta