Poemas

DO IMPESSOAL A MIM

Sentou-se no corredor e esperou.

O frio passou.

 

O que faz alguém

condenar a si mesmo

sem dar margens a outras verdades,

sem jogar bóias ao rio?

Paredes se fechando

Opções fatais-letais de não retorno

elas são sempre mais claras para

o condenado em seu exílio

do que as supostas ilhas de esperança

e as estrelas de salvaguarda

que deveriam por perto estar.

No espelho: Tu me condenas… mesmo?

Eles me condenam… todos? Onde foi que não entendi…

Tantos não entendidos quanto mal compridos

Tantos mal condenam quanto me condenam

E eu? Nesta única realidade? Por que me condenastes?

 

Imagem by Ton Haex

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta