Desvarios

PENSANDO ALTO

Depois do sono, onde os sonhos foram vivos e quase manifestando nossas tantas identidades deixa-nos sem fôlego e êxtase, despertar parece um exercício tranquilo de viver!

A esperança e como a luz: se deixar que ela se apague em você, muitas coisas vão desaparecer de sua visão! Mas se deixá-la brilhando em você, tanto faz a escuridão exterior existir ou não, a claridade da esperança iluminará o seu caminho.

Não sou de fazer promessas e nem pedidos impossíveis. Não tenho muitas palavras doces no repertório e, fora meu sorriso, que vive em mim numa constância nem sempre querida, costumo parecer distante. Nasci água misturada com terra, um lama meio dura, um barro que foi moldado para não esquecer, não padecer e não se entregar. Quando preciso digo, quando não preciso, digo também. Esta sinceridade incomoda. Mas fazer o que? Promessa para mudar? Eis um pedido impossível!

O meio termo não é o meio do caminho. Mas o meio do caminho pode ser o meio termo. Afinal, é tudo uma questão de meios, termos e caminhos. Escolhas.

Somos livres para pensar. Amém! Mas para falar devemos observar certas regras de bom senso. Falar o que pensa só porque “se acha no direito de” pode acarretar vários problemas. Dos primeiros: perda de credibilidade, falta de classe e de educação. Pense o que quiser, do jeito que quiser, mas pense também se, caso transforme seus pensamentos em palavras, eles não se transformarão em adagas, monstros ou outras coisas mais desagradáveis…!

Meu anjo de guarda, aquele vê o que eu não vejo, ouve o que eu não ouço e tudo me diz, tudo me mostra, nunca se afasta de mim!

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta