História

RICHARD CALIL BULOS

Richard nasceu no Rio de Janeiro em 1935, libriano do dia 6 de outubro.

Filho de Yvonne e Abelardo, segundo de quatro irmãos. De suas próprias origens mescla desde cedo a fibra sírio-libanesa e “le goût de l’art” franco-suíço.

Richard cresceu artisticamente rebelde e inteligente, sem muito gosto pelos estudos, mas mostrando intensa curiosidade pelas lições oferecidas pela vida.
Conta ele (muito mais tarde…) que na época em que serviu o exército nos Dragões da Independência no Rio de Janeiro, “pagava” os colegas para fazer seu serviço e ia alegremente para a boêmia…. mesa de bar, guardanapos escritos e muito samba canção.

Muitas peripécias depois, aos vinte e cinco anos, encontrou aquela que seria o grande amor de sua vida: Terezinha. Filha de pescador, moça linda e simples, encantou o já chamado Chachá…  Foi com ela que ele decidiu construir uma família: nasceram da união Jacqueline e Karim.

Foi representante da indústria farmacêutica durante vários anos, viajando por Santa Catarina e pelo Paraná, onde estabeleceu-se por determinado tempo com esposa e filhos.

De retorno à Laguna (SC) com a família, no final do ano de 1970, Richard inicia-se na carreira jornalística fundando com amigos o seu primeiro jornal: O Camboim. Ao mesmo tempo, começa a pintar, com técnica própria, seus primeiros quadros, retratando o carnaval e os pescadores da cidade.

Richard Calil Bulos fundará durante sua vida vários jornais e trabalhará em outros, de amigos. Durante toda sua vida, com seu estilo afiado e irreverente, mas dono de um Português belo e impecável, escreverá crônicas, artigos, discursos e muitos outros textos que serão publicados em Laguna e em outros municípios de Santa Catarina.

Suas pinturas, com seu estilo caracteristicamente naif, conquistarão o público não só catarinense, mas do Brasil e mesmo do exterior, onde várias exposições suas, individuais e coletivas, serão realizadas.

Em 1994 Richard perde o filho Karim e fica, dali por diante, abalado com da impotência diante da morte. Em julho de 2007 falece sua esposa e fiel companheira, Terezinha Marta. Com esta segunda grande perda, o jornalista e artista não resiste: falece três meses depois, no dia 31 de outubro do mesmo ano.

Muitos dos artigos de Richard Calil Bulos estão registrados nas publicações realizadas por ele mesmo e por outros jornalistas. Seus textos e charges fazem parte da história jornalística catarinense.

Suas obras de arte fazem parte de muitos acervos pessoais, assim como de museus e galerias de arte.

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta