Contos e crônicas

O HOMEM NO PONTO DE ÔNIBUS

O homem naquele ponto de ônibus destacava-se. Sua postura era solta apesar das mãos nos bolsos e seu olhar tocava o céu. Embutido nos lábios, um sorriso se esboçava. Ele estava ali e não estava. Talvez já estivesse no seu destino, quem sabe permanecera no local de onde viera. Era moço, mas nem tanto. Sua mocidade vinha dos olhos, do brilho que os olhos tinham ao tocar o céu. Fui virando a cabeça enquanto passava com o táxi, tentando alcançar um pouco mais dele. Mas logo veio a curva para mim e para ele logo viria o ônibus. Coisas da vida, não nos conheceremos. Coisas da vida também, ele nunca saberá deste escrito. Aquele homem do ponto de ônibus, com seu olhar feliz, iluminou meu dia.

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta