Contos e crônicas

ENCONTRO CASUAL

– Oi Marquinhos, que coisa te encontrar aqui!!

– Aninha, como vai?

– Rapaz, tá chegando ou tá saindo?

– Saindo. Voltando pra São Paulo. E você?

– Vim buscar uma amiga!

– E o que você tem feito?

– Sou professora.

– Jura? Que incrível! Professora! Não imaginava nem de longe você professora!

– Mas não deixei de ser atriz!

– Ah, agora tá, bem mais no teu estilo. Menina, a última vez que a gente se encontrou tinha um casamento, não tinha?

– Tinha sim. Com a Liliane. Sete anos. Mas acabou. Coisas de ciúme Marquinhos. Me apavora estas coisas… E você?

– Eu continuo tocando. Agora tem uma banda lá que me chamou pra tocar junto. E o Vítor, tem visto ele?

– Tenho sim. Tá no estado. Virou funcionário. Engravatadinho, cheio de horários e não me toques.

– O Vítor? Nossa, não dá pra acreditar! O cara era o maior hippie…

– Pois é… quem diria né?

– Gente, tô passado!

– E a Maninha, casou com um inglês.

– Da Maninha não me lembro…

– Aquela meio estranha, com um rosto esquisito e bem caladona…

– Ah, eu sei… Casou é? Com um inglês é?

– Pois é rapaz… E você, tá solteiro ainda?

– Tô sim, graças a deus! Sozinho e sem muito interesse em me embrulhar.

– Credo, tá com aversão ou foi decepção mesmo?

– Nem um nem outro, só quero é curtir mais. Juventude minha filha, juventude…

– Tão chamando o voo pra São Paulo, é o seu?

– Ih, é o meu, deixa eu correr… A gente se vê!

– Boa viagem, a gente se vê!

 

Imagem by Zsombor Lacza

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta