Contos e crônicas

ELE E ELA

Os dois formam um par perfeito. Não viveriam um sem o outro. Seria impossível. Precisam de toda a atenção e por isto também buscam, não importa como, não importa o preço, mobilizar a atenção do máximo de pessoas possível.

Ele é egoísta, frívolo, mas precisa ser assim altivo para se manter vivo e em evidência. Ela, bem pelo contrário, é sorrateira, quase nem aparece, é a pobre coitada que uma ou outra vez consegue mostrar sua extenuação diante do mundo, seu extremo desgosto, seu sofrimento sem remédios.

Ele e ela consomem com tamanho fervor aquele que se abandona, que no final nem os olhos podem mais esconder. Nem sorrisos, nem a voz. Só o silêncio pode ainda fazer de conta que a bondade continua a existir no interior.

Ele, o ego. Ela, a vítima. Pobre de quem se deixa manipular pelo próprio ego e consumir pelo próprio sentimento de vítima. Esqueceu de dar o passo seguinte, o pequenino passo em direção a qualquer lugar. Estagnou.

E agora, encolhido num canto de sua vida, aguarda amedrontado que alguém possa vir tomar o seu lugar… ou levanta os olhos argutos para tentar com eles abocanhar algo de outras pessoas para si próprio.

Os limites, foram perdidos há tempo. O ego sabe. Mas a vítima negará. Sempre.

 

Ouço Jose Carreras e sua voz maravilhosa entona “Il trovatore” (Verdi)

Imagem by Michael Tapp

Você pode gostar também de

Sem comentários

deixe uma resposta